5 de mar de 2015

Para viver

Se você quer saber,
Passo a maior parte das minhas noites
Soprando fumaça na direção da lua
E esperando o momento certo.

Falo daquele momento em que o mundo para
E apenas se pode ouvir a voz de uma mulher
Gritando de desespero por alguma frustração
Ou implorando aos céus por algo melhor

Você pode me dizer o que quiser
Sobre seu dia ensolarado;
Sobre suas memórias de parque sob a luz do Sol;
Sobre seu "momento propaganda"
E que tudo foi perfeito por algum instante,
Mas nunca haverá nada mais belo do que o desespero

É apenas o desespero que dá sentido à vida.
Em seus momentos mais ridículos,
Quando você implora para a realidade ser apenas um sonho
E você está prestes a desistir do modo mais absoluto:
É nesse lugar, nesse momento que mora a real beleza.

Sem vacilar, decide viver.
Uma decisão estúpida provavelmente.
Não por natureza.
Por motivo.

Decide viver por sua família,
Pelos seus filhos,
Por suas conquistas,
Pelo seu legado.

Por favor, não viva por isso.
Viva por não ter certeza.
Viva pelo sofrimento, pela derrota.
Viva pelo castigo e por culpa.
Viva exclusivamente por seu desejo de morrer.
Assim, caso você seja um sortudo,
Um dia, talvez, você possua o bastante para poder morrer.

Nenhum comentário:

Postar um comentário