18 de out de 2014

Fracassado

Foi a face lúgubre que sorriu para mim
Dizendo que não havia nada de relevante
Que o mundo era um lugar de crime
Mas não havia castigo
Que os vivos viviam como findos
E isso era apenas isso

Não me tome como alienado
Já me era conhecida a teoria do fracassado
Tome-me por surpreso
Pois sou eu seu alvo no momento
É a mim que seu sopro insípido, táctil, sombrio e insano faz tremer
Era de se esperar...

Já pensei em dominar o mundo
Destruir metade dele apenas para provar um argumento
Criar e destruir deuses que nunca existiram
Enganar a todos a todo tempo
(Divertir-me do jeito mais humano possível)

Mas não sou O Idiota, nunca fui
Sou Ródion, o verdadeiro idiota
Por loucura e arrogância ainda trarei muita dor a pessoas boas
Apodrecerei hipocondriacamente por meses
E não terei Sônia nenhuma para me acordar
Porfiri nenhum para me estender a mão

"Ora, mas que tolo para pensar tais idiotices sobre a vida!"
Leia o título de novo, pois concordo com você
Minha qualidade de idiota nunca me deixará
Vou viver uma vida curta que durará para sempre
Com um segundo seguido de outro como você
Mas os meus serão compostos da mais ridícula essência

Não possuo o dom de viver em paz
Possuo o defeito de a procurar constantemente
Quando for minha a vez de beijar a terra, reverenciar-me ao povo e chorar
A terra estará vermelha de sangue e fogo
O povo estará distante gargalhando da minha ignorância
E minhas lágrimas serão apenas areia corroendo a superfície dos meus olhos

Em seguida, para mim, não haverá nada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário