6 de fev de 2014

Madrugado

Não é da tua alçada, despertar do nascer do Sol,
Esse sentimento que possuo agora.
Meu êxtase vagabundo não beira teu interesse
Assim como sua rotina me causa asco.

Para os utilizadores, espero que não esteja se gabando;
Para os curiosos, teoria e realidade não se encontram aqui;
Para os desocupados, sintam-se em casa;
Para os matutinais, corram enquanto podem.

Estou no lugar onde depressivos decidem pular,
Onde universitárias decidem dançar para pagar a faculdade,
Onde amantes decidem comprar munição
E onde pais decidem ensinar sobre a gravidade.

Não me entenda madrugado errado,
Aqui não é o lugar do erro.
Assim como qualquer senso social,
Esta qualificação não existe no momento.

Só existo eu.
Por mais que meus amigos estejam comigo
E minha família esteja ao meu dispor,
Só existo eu.

Aqui nada importa realmente.
Aqui sabemos que não somos nada.
Enquanto as pessoas dormem tranquilas,
Nós existimos... E isso basta por ora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário